• Miguel Alexandre

Não tens carta de mota? Já não há desculpa... Husqvarna Svartpilen 125

Atualizado: 2 de fev. de 2021

Tens carta de automóvel, adoras motas, mas nunca tiraste a carta A/A2? Adoravas sair a dar um passeio de mota sozinho ou com os teus amigos mas nada te enche as medidas? Não temas! A solução está a caminho e ficarás sem dúvida satisfeito por saber a Husqvarna Svartpilen 125 vem na tua direção em Fevereiro de 2021. Visualmente é absolutamente fabulosa! Todas as linhas são criadas para as tornar irresistíveis ao olho humano, direitas, paralelas e com graus acentuados que a tornam apaixonante. Muito similar à sua irmã mais velha, a Svartpilen 701.



Em Julho de 2020, quando as primeiras spy-photos da Husqvarna Svartpilen 200cc "pilens" estavam a circular WhatsApp / net, ponderámos a possibilidade de 125 "pilens" no futuro uma vez que 200cc não entra dentro do nicho de mercado dos "encartados automóvel". Apenas meio ano depois, eles estão prestes a faze-la chegar à Europa, e os franceses da Le Repaire des Motards deitaram as mãos a um modelo de pré-produção para um passeio de teste.


Como seria de esperar, a Svartpilen 125 utiliza o mesmo monocilindro de 125cc arrefecido a líquido encontrado na sua prima Duque 125 da KTM. Os valores de potência são de 15 cavalos a 9.500 rpm e 12 Nm de torque a 7.500 rpm. É naturalmente também compatível com a norma Euro 5 e possui um depósito para 9,5L de combustível. A pequena bebé Svartpilen, também usa a mesma estrutura que a pequena Duke, mas a unidade completa pesa cerca de 7 quilos a mais. No entanto visualmente garante um estilo mais sóbrio neo-racer que poderá agradar a um maior número de pessoas.

O painel de instrumentos é um mostrador redondo muito ao estilo das neo-racers / cafe-racers, que contem toda a informação básica e necessária a uma condução simples e eficiente. Tem uma caixa de seis velocidades, totalmente equipada com LED, uma embraiagem muito leve e de fácil utilização, suspensão WP Apex, travões ByBre, pneus Pirelli Scorpion Rally STR e sistema ABS da Bosch. O preço ainda não foi oficialmente anunciado, mas prevê-se que ronde os 5.000 euros.


Tomando as palavras de Alan Cathcart do Le repaire des motards:

"Em cidade a "pequena" Husqvarna é uma ferramenta ideal para o trânsito, uma vez que pode deslizar para a frente na lisa sela de duas peças para se endireitar e ter uma melhor visão do trânsito. A precisão e maneabilidade proporcionadas pelo guiador largo ajudam-no a mover-se em espaços apertados. A embraiagem ligeira no acionamento e a resposta do acelerador, ainda que controlável, também ajudam. Esta é definitivamente uma moto de cidade que se revela particularmente confortável no trânsito. Do alto dos meus 1,80m, posso colocar ambos os pés no chão, nos semáforos. Portanto, é uma moto fácil que permitirá aos iniciantes sentir-se confiantes e aos ciclistas mais experientes simplesmente desfrutar da pedalada.

Em estrada o motor Svartpilen ganha vida instantaneamente quando o botão de arranque eléctrico é premido, mudando para uma velocidade ligeiramente alta ao ralenti com um ruído de escape abafado que ocasionalmente regressa à desaceleração, com um som potente para uma 125cc enquanto não há praticamente nenhum ruído mecânico do motor. É então fácil com uma primeira velocidade curta, ideal para começar e depois engrenagens bem espaçadas e uniformemente espaçadas na caixa de seis velocidades. No final, não é preciso empurrar cada engrenagem para se ter essa sensação de velocidade. O motor é, de facto, bastante energético para uma 125cc. Assim, tem a escolha de surfar a curva usando sempre a terceira ou quarta mudança, ou de empurrar a zona vermelha até ao fim em cada mudança, tal como os novatos fazem nos seus KTM Moto3 em competição."

Uma vez que as marcas KTM/Husqvarna partilham plataformas, é fácil dizer que as diferenças entre certas KTM e Husqvarna são apenas visuais, mas não é bem assim. Apesar de assentarem numa base similar a Husqvarna acabar por acrescentar linhas visuais e dinâmicas completamente diferentes que alteram tanto o estilo visual como a condução e performance. É quase como quando compramos um par de calças, mesmo sendo "iguais" todas são diferentes, e nós sentimos isso. No final a KTM ou Husqvarna irá depender das preferências de cada um, mas do que nos chega de vários profissionais a Husky acaba sempre por ter um lugar mais especial. No final do primeiro trimestre esperamos que já seja possível experimenta-la por cá e tirar todas as dúvidas.


Posts recentes

Ver tudo